Cidade vintage: Porto Alegre nos tempos de outrora


Escrito por Abril BrandedContent

A capital gaúcha tem bares, cinema e festivais que são oportunidades de voltar ao passado

Foto: Divulgação. Legenda: Parangolé Bar e Restaurante: petiscos e bebidas ao som de música erudita

Em plena era da tecnologia, ainda é possível reviver aqueles tempos antigos da aurora dos nossos bisavós. Em Porto Alegre, a união do presente com o passado funciona muito bem e nos mostra que, mesmo naquele tempo em que tudo parecia mais tranquilo e devagar, os nossos antepassados também sabiam se divertir. Conhecer lugares que transportam para outra época é uma maneira divertida e inusitada de aproveitar a cidade e buscar uma nova conexão com sua história. Fomos atrás dos principais destaques retrô da capital em parceria com o #hellocidades, projeto de Motorola que é um convite a novas experiências nos lugares em que vivemos.

Primeiro vieram as barbearias que, nos últimos anos, desenterraram a figura do tradicional barbeiro, graças ao retorno de cortes de cabelo que faziam sucesso no passado. Depois, a moda vintage se espalhou. O publicitário Pedro Rodin tem 27 anos e gosta de brincar ao dizer que nasceu na época errada. “Gosto de ler livros de papel e de ouvir discos de vinil”, diz. “Se for para sair de casa, prefiro ir a um lugar em que eu saiba o nome da pessoa que está me servindo, e que ela saiba o meu também. Pelo que meus pais e avós falam, era muito mais fácil achar lugares assim antigamente ”, conta o publicitário.

Graças à moda de resgatar símbolos e valores do passado, também há opções contemporâneas em que pessoas como Pedro podem se sentir em casa. Um exemplo é o Von Teese High-Tea & Cocktail Bar, localizado no Bom Fim. “As pessoas vêm para cá e percebem que o atendimento em si já é uma companhia para elas. Fazemos questão que elas sintam aquela familiaridade que as pessoas tinham entre si antigamente”, dizem as sócias Carolina Disegna e Diovana Gheller. Basta ir algumas vezes para ter grandes chances de ser lembrado pelo nome ou até pelo seu item preferido no menu.

Carolina e Diovana contam que a caracterização antiga veio como consequência da proposta inicial da casa: unir apresentações burlescas e de variedades circenses em algumas noites, após o chá da tarde em estilo inglês, servido com pirâmides de salgados e docinhos.

Foto: Divulgação. Legenda: Shows burlescos são opção diferenciada na noite de Porto Alegre

Foram elas também que promoveram, em agosto de 2017, a primeira edição do Porto Alegre Burlesque Festival, que reuniu divas pin-ups e até a apresentação do grupo retrô Postmodern Jukebox, que estourou no YouTube fazendo covers de músicas atuais adaptadas a estilos de música antigos.

Já na agitada Cidade Baixa, não se assuste se, entre o barulho da boemia e do trânsito, você ouvir um acorde de cravo, um sopro de flauta ou um choro de violino. É que o Parangolé Bar e Restaurante, já conhecido pela programação musical, que inclui rodas de choro, abriu também suas portas para o clássico ao vivo.

A iniciativa veio das amigas Ana Laura Freitas e Sofia Cortese, que trabalhavam na Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e viam que era difícil atrair pessoas fora da apreciação clássica para as salas de concerto. A dupla se inspirou em países europeus, que têm bares onde sempre se ouve música erudita. A tendência é tão forte, que até uma plataforma online está sendo criada para conectar esses músicos do mundo todo, quebrando a aura elitista e exclusiva que envolve a música clássica.

“Eu também gosto de pop e de indie, mas tem horas que prefiro música instrumental ou algo com uma melodia mais tranquila. Adorei saber que dá para ouvir ao vivo aqui em Porto Alegre, não só em um evento especial para esse público, mas na noite, num bar. É uma viagem”, diz a estudante de direito Catharina Bergman, que começou a gostar de chorinho por influência da avó. Hoje, a moça divide o tempo entre a faculdade, o estágio e aulas particulares de clarinete.

Quase uma cidade cenográfica.

Na mesma jovem Cidade Baixa, um lugar que traz o antigo de uma maneira ainda mais afetiva é o Cine Guion, localizado num cantinho da Galeria Olaria e rodeado pelos ares da época do cinema em preto e branco, mas com programação atual. Além de ser um cinema à parte das grandes redes, o espaço também expõe e vende obras de arte vintage, num clima de antiquário.

Lá dentro, poltronas grandes, como as dos nossos avós, são um convite para se esparramar durante a sessão de filmes que incluem selecionadas produções norte-americanas e principalmente filmes europeus e latino-americanos.

Além de experimentar um pouquinho do passado, hoje é possível compartilhar esses momentos na internet. Use a hashtag #hellocidades quando fizer sua própria viagem no tempo em Porto Alegre e conheça mais sobre a capital gaúcha no hub hellomoto.com.br.

POSTS RELACIONADOS

Equilíbrio sobre rodas