hellocidades hellosãopaulo

Mixologia: a ciência dos drinks emplaca em São Paulo


Escrito por Abril BrandedContent

Apreciadores de coquetéis comemoram diversidade de opções na capital paulista

Foto: Frank Bar/Divulgação. Legenda: Frank Bar fica num hotel na Bela Vista, e atrai pela qualidade dos drinks.

Clara Pacelli não tem do que reclamar. A administradora de empresas tem, bem perto de sua casa, em Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo, vários estabelecimentos que servem seu drink favorito. “Provei o moscow mule uma vez numa festa e me apaixonei, mas não era muito comum encontrar nos cardápios dos bares por aqui até uns dois anos atrás. Agora, sempre acho!”, diz. O drink, que leva vodca, suco de limão e gengibre e é servido numa caneca de cobre, existe desde os anos 1940, mas só nos últimos anos ganhou popularidade nos bares brasileiros. Mas não foi um fenômeno isolado.

A arte da coquetelaria, ou mixologia, voltou à moda em São Paulo, graças ao surgimento de bares dedicados à preparação de drinks clássicos e experimentações exclusivas. O #hellocidades, projeto de Motorola que incentiva as pessoas a viverem novas experiências nas principais cidades do Brasil, ajuda você a entender melhor essa tendência e indica os melhores lugares para provar novos sabores. Assim, fica mais fácil aproveitar a era de ouro dos drinks em São Paulo, que não parece estar perto do fim.

 

Para Alexandre D’Agostino, sócio fundador da Apothek Cocktails & Co. e um dos maiores especialistas em mixologia do país, São Paulo ainda está descobrindo diferentes maneiras de beber. “Vejo um movimento muito interessante no mercado. Existe uma demanda crescente por lugares que trabalhem com coquetelaria de qualidade, além de muitos profissionais se destacando e abrindo lugares ou fazendo ótimos trabalhos em bares e restaurantes”, afirma.

A onda do gin

O aumento no consumo de drinks em São Paulo envolve vários fatores. Um deles, que é, ao mesmo tempo, causa e consequência, é uma melhoria na produção de ingredientes no país. “Estamos começando a fazer destilados de qualidade por aqui, vide o caso dos gins nacionais”, diz Alexandre.

De coadjuvante no cardápio, o gin se tornou rapidamente um dos protagonistas, e hoje há estabelecimentos especializados nos diversos coquetéis que levam na receita o destilado à base de cereais. O gin tônica, uma das combinações mais famosas do mundo, é a bebida favorita da farmacêutica Ingrid Iucher, que leva em conta alguns tópicos na hora de escolher o destino da noite. “Qualidade da bebida combinada com um preço justo, o atendimento e o ambiente”, enumera.

Segundo Alexandre D’Agostino, o gin cresceu nos últimos anos para, agora, chegar em um estágio de diversificação. “Apareceram várias marcas locais, sejam nacionais ou internacionais, o que é muito bom para o mercado. As grandes empresas estão perdendo monopólio para produtores menores”, explica. Na opinião do especialista, depois do gin, deve acontecer o mesmo com o vermute, um tipo de vinho feito com flores ou ervas aromáticas.

Para todos os copos

“Não me dou bem com bebidas fermentadas, acho que os destilados combinam mais comigo”, diz a administradora Clara. Apesar de seu gosto específico, ela conta que não perde a oportunidade de experimentar novos drinks e novos estabelecimentos na cidade. “Moro em Pinheiros, onde tem de tudo, mas gosto também de dar uma desviada quando alguém indica um lugar novo”. E opções não faltam. Seu bar favorito fora de seu bairro é o Lambe Lambe, em Higienópolis.

Ingrid prefere preparar seus drinks favoritos em casa. Mas, quando quer sair, suas primeiras opções são o Bar da Dona Onça, no centro da cidade, graças à variedade, e, na República, o Mandíbula, localizado na Galeria Metrópole. Com berço em Pinheiros, o Boca de Ouro completa a lista.

O especialista Alexandre D’Agostino aponta três jovens clássicos da cidade: Frank – “o bar que mostrou que podemos fazer muito melhor”, do Hotel Maksoud; o Guarita – “gosto muito do trabalho do [bartender] Jean Ponce, que busca uma identidade brasileira para a coquetelaria”; e o Ipo Bar – “gosto do ambiente ermo em que o bar está localizado [na Lapa]”, diz.

Tem mais sugestões de bares para tomar bons drinks e se conectar com as pessoas? Compartilhe usando #hellocidades e conecte-se à plataforma da Motorola que incentiva a reconexão pessoal com as cidades por meio do uso consciente da tecnologia. Para saber mais, acesse o hub hellomoto.com.br.

Veja, a seguir, mais detalhes sobre os estabelecimentos citados e lembre-se de ficar longe do volante quando for viver essas experiências!

Frank Bar

Endereço: Hotel Maksoud (R. São Carlos do Pinhal, 424, Bela Vista)

Horário: domingo, 18h – 00h; seg-qua, 18h – 01h; qui-sáb, 18h – 02h

Guarita

Endereço: R. Simão Álvares, 952, Pinheiros

Horário: ter e sex, 18h – 02h; sáb, 17h – 02h; dom, 16h – 00h

Ipo Bar

Endereço: R. Mota Pais, 32, Lapa

Horário: ter-sáb, 19h – 01h

Bar da Dona Onça

Endereço: Edifício Copan (Av. Ipiranga, 200, Centro)

Horário: seg-qua, 12h – 23h30; qui-sáb, 12h – 00h30; dom, 12h – 17h30

Mandíbula

Endereço: Galeria Metrópole (Praça Dom José Gaspar, 106, República)

Horário: seg-qui, 18h – 02h; sex, 18h – 00h

Boca de Ouro

Endereço: R. Cônego Eugênio Leite, 1121, Pinheiros

Horário: seg-quar, 18h – 00h; qui-sáb, 18h – 02h

Lambe-Lambe

Endereço: R. Aracaju, 239, Higienópolis

Horário: ter-sáb, 12h – 23h; dom, 12h – 17h

POSTS RELACIONADOS

hellopoa

Cidade vintage: Porto Alegre nos tempos de outrora

hellocidades

8ª Mostra de Fotografia na Casa #hellocidades