motostyle
arte

Cenografia: novos espaços num clique


Escrito por Motorola

Conheça o trabalho de cenógrafos que tem incluído a tecnologia em suas criações.

A cenografia nasceu para nos enganar, é fato. Ou, pelo menos, enganar os nossos olhos de uma maneira boa e transformar lugares em outros, criar novos universos e, muitas vezes, até nos levar em uma verdadeira viagem no tempo.

No teatro, por exemplo, o espaço do palco é construído como uma caixa vazia, fechada apenas por uma cortina. É com o trabalho dos cenógrafos que viajamos da Grécia aos dias de hoje, que podemos presenciar batalhas ou apreciar a decoração de uma “casa normal” apenas com alguns elementos cênicos.

Hoje em dia, a cenografia não é só usada no teatro, mas também em eventos, em bares e restaurantes temáticos e até em obras arquitetônicas, como nas apresentações de projeção mapeada, o chamado 3D design mapping. E é assim que esses artistas, designers e cenógrafos conseguem nos encantar como em um passe de mágica.

Ficou curioso para conhecer alguns profissionais e estúdios que fazem coisas incríveis em cenografia? Venha com a gente!

Marko Brajovic

Nascido na Croácia, com passagens por Veneza e Barcelona, Marko encontrou no Brasil sua nova casa. O arquiteto fundou em São Paulo seu ateliê, e hoje, com a ajuda de um time superinspirado, desenvolve projetos de cenografia para eventos, exposições, e também projetos arquitetônicos e de design de objetos.

Criação do Ateliê Marko Brajovic para a exposição David Bowie – MIS, São Paulo.

Guto Requena

Arquiteto de formação, esse brasileiro faz parte de uma nova geração de profissionais multifacetados. Do design de objetos a projetos urbanísticos, Guto está sempre inovando. Seu trabalho sempre enche os olhos de quem vê, e faz você pensar mais sobre os espaços que ocupamos. Confira abaixo um vídeo com o projeto dele para a cenografia de um bar interativo, e também acompanhe a websérie especial no canal dele no YouTube.

Olimpíadas 2016

Talvez um dos maiores marcos da cenografia nacional na História foram os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que trouxeram um coletivo de cenógrafos, sob a produção artística de Abel Gomes. Juntos,  eles criaram uma linguagem única com a combinação de projeções e figurinos, na ideia do “hi-concept, not high tech”, como definiram os diretores Fernando Meirelles, Daniela Thomas, Andrucha Waddington e Rosa Magalhães. O ponto  alto foi a pira olímpica, criada pelo artista americano Anthony Howe, uma escultura feita de metal e formada por vários pratos e esferas reflexivos.

Relembre aqui:

Philipp Geist

Um dos mais reconhecidos artistas da luz do mundo, Philipp Geist faz cenografia com suas projeções mapeadas em 3D. O artista e cenógrafo mora em Berlim, mas já passou pelo Brasil e encantou o País projetando sua arte no Cristo Redentor e no Morro da Dona Marta. Confira aqui essa projeção!

E você, se inspirou com essas maneiras de mudar ambientes num clique? Pois com o Insta-Share Projector do Moto Z dá pra começar a criar suas próprias projeções mapeadas caseiras e – por que não? – dar uma nova cara para suas paredes durante uma festa ou um evento especial. Só não se esqueça de dividir com a gente, pois adoramos saber o que a Comunidade Moto anda criando.

POSTS RELACIONADOS

motostyle
arte

Passo a passo: maquiagem criativa para o Carnaval