hellocidades
hellorio

Cultura japonesa no Rio de Janeiro


Escrito por Motorola

Evento relembra chegada de imigrantes no Brasil e promove troca cultural

Com a maior concentração de japoneses vivendo fora do Japão, o Brasil tem uma longa história com a imigração nipônica. Já são 110 anos desde que o primeiro navio com imigrantes aportou por aqui.

Hoje, existem cerca de 1,5 milhões de imigrantes japoneses vivendo no país, grande parte deles em São Paulo, é verdade. Mas o Rio de Janeiro também faz parte dessa história.

O Hello Cidades foi até o Centro Cultural dos Correios para acompanhar um pouco do que rolou durante julho, o Mês do Japão. Confira.

Intercâmbio retratado na arte

Entre exposições de artistas japoneses, cursos e exibição de filmes, o evento realizado pelo Instituto Cultural Brasil-Japão proporcionou uma intensa troca cultural em reconhecimento à parceria centenária dos dois países.

A advogada que visitava o evento, Silvania, se encantou com a exposição de arte. “Achei muito interessante. É uma abordagem distinta da ocidental e está bem retratada. São artes de várias datas, ao longo do período histórico deles. O origami está maravilhoso”, disse.

Simone Sugino nos contou a importância do evento para a comunidade japonesa no Brasil. “Sou sansei ou seja, neta de japoneses, e vim prestigiar a colônia brasileira aqui. Já são 110 anos de imigração e é sempre bom prestigiar nossa cultura e estendê-la aos brasileiros.”  

A troca cultural dos cursos

As oficinas e cursos do evento foram um outro grande atrativo para quem passou pelo espaço dos Correios. A programação proporcionou aprendizado de técnicas de bonsai, origami e cosplay. Conversamos com alunos da oficina de mangá, a tradicional história em quadrinho japonesa, para saber como foi a experiência.

“Foi uma experiência muito divertida, muito nova. É um tipo de desenho completamente diferente de todos os desenhos que a gente tem aqui. É uma coisa deles muito deles, por isso é legal de aprender”, conta a estudante Paula, de 16 anos.

Acompanhando sua amiga no curso de desenho, Júlia deixou sua opinião sobre a importância de eventos como esse: “É uma diversidade muito grande de cultura e também faz parte do nosso povo. Eles são parte da gente e a gente quer aprender mais sobre eles”. E Paula completa: “É o resgate das raízes, para não deixar elas se perderem”.

Continue acompanhando o Hello Cidades para saber mais sobre a cultura guardada nas principais cidades brasileiras. Até a próxima!

 

POSTS RELACIONADOS

motostyle
arte

Por trás das lentes de Ariel Carlomagno