motostyle
arte

O design emocional de Tatiane Freitas


Escrito por Motorola

Conheça o trabalho da artista visual que vê nos objetos um reflexo do que gostamos e somos

Móveis e objetos são capazes de refletir muito do que somos e gostamos. Assim, inconscientemente, estabelecemos conexões emocionais que evocam sentimentos e experiências passadas.

E é justamente essa relação afetiva que a artista visual Tatiane Freitas transporta para seu trabalho. Em sua série mais recente, intitulada My old new chair, a jovem paulistana reconstrói cadeiras antigas de madeira, substituindo as partes faltantes com acrílico transparente.

O resultado único, fruto do contraste entre os dois materiais, foi a maneira que a artista encontrou de representar a união entre o antigo e o novo. “A ideia é justamente reconstruir o passado e, a partir dele, criar uma nova história”, conta Tatiane.

O processo de manufatura é lento e difícil. Tudo começa com um garimpo minucioso em ferros-velhos, a fim de encontrar as cadeiras de madeira quebradas. “É um trabalho de grande pesquisa até iniciar a montagem. Depois da busca demoro, em média, três meses para fazer cada peça. Não tem parafuso, é tudo à base de cola; e às vezes a madeira não fixa bem no acrílico, então tenho que refazer tudo manualmente”, explica.


Foto: Otavio Guarino

Esse design de preservação de histórias e memórias afetivas está bastante ligado ao movimento de upcyling: o conceito, que vem se tornando uma tendência mundial, procura reaproveitar materiais que seriam descartados e reabilitá-los para um novo uso e propósito.

A técnica se diferencia da reciclagem por dar vida a um produto de igual ou maior valor que o original por meio de um design inteligente. “Hoje em dia as pessoas acham que têm que ter tudo novo, e eu vou muito contra isso, pois acredito que muitos dos problemas que estamos vivendo advêm dessa mentalidade”, acredita. “Se você não gosta do estilo antigo de uma determinada roupa ou objeto, adapta para seu gosto e evita o desperdício”, completa.

É o momento de apostar em um design emocionalmente durável e abraçar a beleza da imperfeição. Captou a ideia?

Confira nosso bate-papo com Tatiane Freitas e algumas das peças da série My old new chair:

Você pode ver mais do trabalho de Tatiane em seu site.

POSTS RELACIONADOS

hellocidades

Agito e tropicalização na Casa #hellocidades