hellocidades
hellorecife

O trap norte-americano chega no Recife


Escrito por Motorola

Como a tecnologia aproximou artistas pernambucanos do estilo derivado do rap

Talvez você nunca tenha ouvido falar no termo, mas com certeza já ouviu um trap na internet ou no rádio. O estilo ganhou fama mundial graças ao hit Harlem Shake, do DJ Baauer. Logo surgiram milhares de memes no Youtube, flash mobs e coreografias engraçadas com a música, que incorporou elementos do trap à dance music e ao pop.

No Recife, jovens como Gabriel Marques, mais conhecido como NexoAnexo, de 21 anos, encontraram nesta vertente do rap um meio de expressão. O artista, no entanto, aposta numa sonoridade mais melódica, com muitas camadas de sintetizadores.

Nas letras e videoclipes, ele segue as temáticas do gênero, colocando em pauta experiências urbanas, festas e maneiras de alcançar uma vida mais confortável — sempre esbanjando muito estilo. “Procuro passar a minha visão e vivências, deixando claro a minha insaciável vontade de vencer através da música independente”, explica.

Como grande parte dos artistas independentes, NexoAnexo faz sozinho a captação, mixagem e masterização de suas músicas. Seu estúdio caseiro ganhou o nome de TrashStar Records. “Hoje em dia podemos aprender tudo através da tecnologia e da internet, como produção musical e técnicas de gravação. E para quem é artista independente, é indispensável. Quanto às redes sociais, elas se tornaram o melhor veículo de ligação entre artista e público, ajudando a divulgar e revelar ao mundo a nossa arte”.

A mais recente mixtape do artista, intitulada Real Plug, está disponível no Spotify.

Cena de trap local

NexoAnexo conta ainda com o apoio da HoodCave, que agencia outros três artistas da cena local — JOMA, HoodBob e Mc Klebinho. “Apesar de estarmos focados na cena do trap, não nos limitamos a ela, visto que lançamos recentemente o nosso primeiro artista de funk, o MC Klebinho, contam Luís e Larissa Oliveira, os irmãos criadores da produtora.

“Além disso, mesmo dentro do gênero, a gente procura diferenciar a forma de se fazer o trap. Hoje temos HoodBob, que é um artista que faz trapbrega, unindo duas vertentes musicais em ascensão: o trap e o brega, que é um dos maiores estilos musicais do Recife, sendo uma cultura muito forte por aqui”, completam.

Os artistas da cena trap do Recife, NexoAnexo e JOMA / Fotos: Divulgação
Os artistas da cena trap do Recife, NexoAnexo e JOMA / Fotos: Divulgação

Apesar da força do cenário recifense, ambos acreditam que ainda há um longo caminho pela frente. “Se compararmos com outros estados do eixo centro-sul, por exemplo, ainda tem muito a crescer. Não falamos nem de talento, mas de profissionalização do trabalho. Por conta das pouquíssimas oportunidades, é desafiante trabalhar, porque temos que correr o dobro para conquistar espaços que, muitas vezes, são mais fáceis em outros locais, por conta desse desenvolvimento maior da indústria”, analisam.

Para conhecer um pouco mais do trabalho da HoodCave, não deixe de acompanhar o canal da produtora no Youtube.

POSTS RELACIONADOS

motostyle
geek

Smartphone e kids: 7 dicas para derrotar o bicho-papão