hellocidades
hellorio

Yoga de Rua


Escrito por Motorola

Meditação e equilíbrio para todos nas ruas do Rio de Janeiro

A yoga é uma prática milenar muito usada para o autoconhecimento e equilíbrio emocional. Os benefícios são inúmeros e comprovados. Exercício, respiração e meditação são os três pilares dessa atividade que está mudando a vida de alguns moradores das ruas do Rio de Janeiro através do projeto Yoga de Rua.

O professor de pedagogia André Pereira, que está envolvido com pessoas em situação de rua há dez anos, criou esse movimento há quase quatro anos como meio de cura social de uma parte da população que muitas vezes é esquecida. Ao visitar uma das aulas no Aterro do Flamengo, vivemos essa experiência, conversamos com os moradores e voluntários e vimos como a yoga pode ajudar na saúde mental e física das pessoas.

Ao chegar na praça logo nos deparamos com os moradores em uma sessão de Reiki. A atividade complementa o processo vivenciado por essa parte da sociedade que geralmente não tem a menor possibilidade de acesso. Dança, música e capoeira são algumas das opções proporcionadas por parceiros voluntários.

 

“O meu objetivo é me re-socializar. Morei três anos na Argentina e voltei em 2017 sem nada. Sem economias, sem família, sem amigos e sem casa. O que me fortalece hoje em dia são os projetos sociais. Através do Yoga de Rua posso interagir com pessoas de outras classes que não viram a cara ou se afastam”, conta Luiz, morador de rua que participa das atividades.

 

Hora da aula

As aulas acontecem ao ar livre. Sentados em uma grande roda onde não há julgamento e nem diferenciação, Cecília, a professora de Yoga voluntária do projeto nos guiou em uma aula descontraída e cheia de conhecimentos. Entre difíceis movimentos, lições sobre yoga e meditação, não falta determinação na turma. 

Os exercícios são executados com uma dedicação bonita de ser ver. Sem perder o equilíbrio, alguns moradores de rua se destacam executando as posições da yoga com precisão. Outros, também esforçados, ainda encontram dificuldades, mas não se envergonham em arriscar. O bom humor está sempre presente e arranca boas risadas. 

“O mais lindo é ver tudo isso movido por um grupo de pessoas que se desdobra para impactar a vida de tanta gente que mora nas ruas, vários sem documentos e sem direito de uma moradia ou emprego”, aponta Fernanda, uma atriz praticante de yoga que está de volta ao Brasil depois de morar cinco anos na Austrália e seis meses na Índia.

Para o criador do Yoga de Rua é preciso acreditar que é possível. André nos explica que o movimento não tem patrocinador, e não se trata de uma ONG ou associação. É um grupo de 15 a 20 professores voluntários atuando à base de doações em conta para custear almoços vegetarianos e passagens para eventuais passeios e retiros para os participantes. A vontade é realizar uma viagem para a Índia, em um retiro de 15 dias.

 

Perguntado sobre o impacto das atividades na vida dos moradores, André declarou: “Os relatos que a gente tem é que as pessoas começam a ter uma postura diferenciada na própria rua. Não respondem provocações, evitam brigas e conseguem ter um controle maior da sua própria ansiedade e questões psicológicas. Muitos constatam também melhoras na saúde física e nas dores de coluna”

As aulas acontecem às segundas no Aterro do Flamengo, quartas na Praça Guinle e quintas na Praça Paris, sempre das 10 às 11h30 da manhã. Para contribuir e para mais informações acesse o site yogaderua.org

 

POSTS RELACIONADOS

hellocidades
hellorio

A Pequena África: tradição e cultura no Rio de Janeiro