motostyle
arte

Arte que transforma cidades


Escrito por Motorola

Uma lista de sete projetos de revitalização de espaços urbanos que você precisa conhecer.

A cultura do grafite surgiu com força total em Nova York, nos anos 70. Mas foi só na década de 90 que esse tipo de arte ganhou o mundo, criando artistas de grande importância na cena contemporânea, como Banksy e a dupla brasileira Os Gêmeos. E que acabaram  mudando um pouco o jeito como vemos as cidades.

O grafite também foi catalisador na revitalização dos grandes centros urbanos, transformando espaços públicos abandonados em galerias a céu aberto, criando um movimento de apropriação e retomada dos espaços por meio da arte.

O mais legal é que essa revitalização gera não só a recuperação econômica da região, mas também passa a fazer parte do acervo cultural das cidades, deixando um superlegado para as novas gerações.

Aqui no Brasil também esse tipo de “recriação urbana” ganha cada vez mais força, criando a cada dia novas opções para as pessoas.

Por isso listamos aqui sete projetos de revitalização de áreas urbanas por meio da arte que você tem de conhecer:

1. Inhotim – Brumadinho (MG)

Imagem: reprodução.

O Instituto Inhotim, o maior museu ao ar livre da América Latina, foi criado em 2004 numa fazenda improdutiva pertencente a uma empresa mineradora no município de Brumadinho (MG). No acervo do local, obras de Cildo Meireles, Vik Muniz, Hélio Oiticica, Tunga, entre outros, compõem uma narrativa estética inesquecível para seus visitantes. A revitalização da região por conta do museu acabou por também gerar relações multidimensionais entre a arte e a cidade, trazendo desenvolvimento para a região e para a população local.

 

2. Museu do Amanhã – Rio de Janeiro (RJ)

Imagem: reprodução.

O Museu do Amanhã, que tem como missão ser uma instituição voltada para artes e ciências, surgiu ao lado da Praça Mauá, na Zona Portuária do Rio de Janeiro. A construção sobre um píer foi cercada por uma imensa área verde. Junto com isso foram criados jardins, espelhos d’água, ciclovias e áreas de lazer abertas para toda a população. Também foi demolido o Elevado da Perimetral, para facilitar o acesso da população ao local e também para revitalizar esteticamente a região. O museu ainda é super jovem, mas já se tornou um dos cartões-postais da cidade!

 

3. São Mateus em Movimento – São Paulo (SP)

Na Vila Flávia, região de São Mateus, em São Paulo, o Opni, um grupo de grafiteiros local, criou uma galeria de arte nas ruas do bairro. Uma das marcas registradas do grupo é o uso da cor azul, pois com grana curta para ter várias latas de spray de cores diferentes, eles investiram numa criação estética baseada no azul (a tinta azul é mais barata!). Com isso, várias ruas se transformaram em uma verdadeira galeria a céu aberto, trazendo consigo não só a revitalização da área, como também a ocupação. Hoje os moradores transformaram o local em espaço de convívio, com palestras, debates, duelos de rap e saraus.

Imagem: reprodução.

4. Gentileza Urbana – Rio de Janeiro (RJ)

Além do já citado Museu do Amanhã, a Zona Portuária do Rio também tem outra fonte de arte que serve para a revitalização da área. Trata-se do projeto Gentileza Urbana, que propõe intervenções artísticas do Instituto Rua, em parceria com o Porto Maravilha e a construtora Tishman Speyer. A ideia é colorir muros e criar painéis artísticos por toda a região que engloba a Zona Portuária e o Centro do Rio de Janeiro. Se existe um lugar abandonado, o projeto Gentileza Urbana vai lá para realizar uma intervenção, embelezar o entorno e criar novas perspectivas para a região.

Imagem: reprodução.

5. Fábrica Bhering – Rio de Janeiro (RJ)

Também situada na Zona Portuária carioca, a antiga fábrica de chocolates foi abandonada por mais de 20 anos e hoje se tornou um polo cultural e gastronômico da cidade. O local abriga ateliês de artistas plásticos e fotógrafos, além de escritórios de arquitetura e design, brechós, oficinas de movelaria e até mesmo um bistrô. Construída em 1930, a fábrica, depois de desativada, começou a dar espaço para artistas em 2005, aos moldes do que acontecia em Berlim e Londres. Nos cinco andares do prédio você encontra muita arte, moda, objetos de decoração, além de uma culinária especial, criada por chefs artesanais. Bora conhecer?

Imagem: reprodução.

6. Minhocão – São Paulo (SP)

O controverso Minhocão, em São Paulo, tornou-se um espaço de lazer e artes aos finais de semana. Ali, além de as pessoas poderem aproveitar para fazer suas caminhadas ou andar de bike, também ocorrem numerosas feiras especiais, que vão da gastronomia às artes, passando também por um mercado de pulga informal. Criado como símbolo concreto (e de concreto) para mostrar as vantagens do automóvel, hoje o Elevado João Goulart – novo nome do Minhocão – é um centro de lazer e artes, recuperando em parte o brilho do Centro Antigo de São Paulo e dando espaço a outras mobilidades. Um ótimo lugar para passear bem tranquilo no fim de semana.

Imagem: reprodução.

 

7. Cais do Sertão – Recife (PE)

O Museu Cais do Sertão está localizado na Zona Portuária de Recife e trouxe toda a cultura do sertão pernambucano ao acesso da população. De literatura de cordel a passagens da vida e obra de Luiz Gonzaga, o museu faz parte do projeto de revitalização da área do porto da cidade, no bairro do Recife, que também conta com a iniciativa Porto Digital, uma área totalmente dedicada às startups pernambucanas de tecnologia. A criação do museu cumpre a função de integrar o local na rota turística e dar nova vida a uma região da cidade antes completamente abandonada.

Imagem: reprodução.

Como vimos, a arte vem alterando a percepção das pessoas ao redor do mundo e, em especial, aqui no Brasil. As transformações trazem cada vez mais a sensação de pertencimento à cidade e à comunidade. A gente aqui da Comunidade Moto também acredita que esse tipo de transformação é essencial para o resgate de inúmeros lugares nas cidades brasileiras.

Que tal agora ir ver de perto todas essas intervenções e também contar pra gente se tem algo acontecendo de legal na sua cidade? A gente vai adorar saber! Além disso, você também pode participar do concurso MotoFoto, que vai até 15 de outubro. Usando as hashtags #cenaurbana + #motofoto, você, além de divulgar lugares incríveis da sua cidade, pode concorrer a três Moto G. Saiba mais aqui.

POSTS RELACIONADOS

motostyle
geek

Novas tecnologias e smartphones: o futuro em nossas mãos