hellocidades
hellopoa

Carnaval fora do eixo


Escrito por Motorola

A capital gaúcha se destaca (e muito!) quando o assunto é folia

No dia 28 de janeiro deste ano, uma pequena catarse aconteceu na Vila do IAPI, zona norte de Porto Alegre, quando o Bloco da Laje reuniu milhares de pessoas com o desejo comum de ocupar o espaço urbano de forma lúdica. Na ocasião, os foliões fizeram uma homenagem a Elis Regina em frente à casa onde ela nasceu, na Rua Rio Pardo, ao som de ritmos genuinamente brasileiros. O local foi tomado pelas cores azul, amarelo e vermelho, que representam o bloco.

Cenas como essa são mais comuns do que se imagina na terra do friozinho e do chimarrão. Ao longo do ano, a capital gaúcha conta com cortejos que passam por diferentes pontos da cidade. “A peculiaridade do carnaval de POA é que tem bloco rolando o ano todo, como o Avisem à Shana que Sábado Vai Chover, que sai duas vezes ao ano, no verão e no inverno, e o É Primavera, que sai no início da primavera. Eu brinco que somos a cidade mais carnavalesca que existe!”, conta Joelma Terto, DJ, jornalista e entusiasta do movimento.

Apaixonada pelo Bloco da Laje, ela vai nos ensaios abertos e contribui com todos os financiamentos coletivos do grupo. Neste ano, resolveu se engajar como participante de outro bloco, o Não Mexe Comigo Que Eu Não Ando Só, formado exclusivamente por mulheres e que vai sair às ruas em abril.

Joelma marcando presença em três de seus blocos preferidos: Avisem à Shana que Sábado Vai Chover, Bloco da Laje e Maria do Bairro // Fotos: acervo pessoal.

Esse mesmo sentimento tomou o coração de Raquel Chamis, que há um ano e meio vive intensamente o circuito de rua. “Em tempos sisudos, preencher ambientes públicos com música e fantasia tem efeitos importantes; estar perto, cantar junto, dançar em plena luz do dia são pequenas ações que lembram que há espaço para mais vida fora de casa”, analisa.

“Passei a noite colando fitas e lantejoulas para sair cedinho com o bloco”, conta Raquel (a segunda, da esq. para dir.). // Foto: Acervo pessoal.

Mapeando POA

Em sintonia com o #hellocidades, projeto da Motorola que busca inspirar novas experiências na metrópole, Raquel acredita que a movimentação carnavalesca dos últimos anos também fortaleceu o debate sobre a ocupação da rua e a necessidade de se reconectar com a cidade. E foi dentro desse contexto de aproveitar mais o lugar onde se mora que ela — junto com Amora Marzulo, Fê Carvalho Leite e Renata Fratton — idealizou o Mapeando POA, iniciativa que faz um levantamento de propostas criativas e o disponibiliza para download, além de propor uma agenda com programação cultural gratuita ou de baixo custo que pode ser recebida por usuários cadastrados através do e-mail.

Aproveitando o período de festas, os ensaios e bloquinhos têm aparecido com força na newsletter desenvolvida pela plataforma. “Mais uma prova de como a folia está sendo incorporada ao cotidiano da capital”, pontua Raquel.

Roteiro da folia

O Carnaval de rua de Porto Alegre se concentra, sobretudo, na Cidade Baixa e na Orla do Guaíba, onde se destaca o Bloco Império da Lã, programado para sair dia 18/02, às 15h. Mais para o final do mês de fevereiro, os foliões poderão curtir ainda o Bloco do Isopor, que sai na Aureliano de Figueiredo Pinto, e o Bloco Ziriguidum, no Viaduto Imperatriz Leopoldina. A agenda segue durante o ano inteiro, normalmente com blocos mais independentes que vão, aos poucos, percorrendo outros bairros e regiões.

Bloco Avisem à Shana que Sábado Vai Chover // Foto: Vinícius Ávila e Alexandre Garcia

Como foliã entendida do assunto, Joelma indica mais duas opções imperdíveis: o bloco Olha o Passarinho do Mário, em homenagem ao poeta Mário Quintana e que sai da Casa de Cultura Mário Quintana no dia 25/02, e o bloco Turucutá, com saída prevista para 18/03.

Agora é só colocar a fantasia e o bloco na rua! E para inspirar outras pessoas a se reconectarem com a cidade, não deixe de registrar a experiência nas redes sociais com a hashtag #hellocidades.

POSTS RELACIONADOS

hellocidades
hellorio

Bikes na madrugada: conheça os ciclistas que ocupam as ruas do Rio de Janeiro antes do amanhecer