motostyle

Conheça o Grupo da self


Escrito por Motorola

Saiba sobre o Grupo da self, um divertido grupo que tem movimentado o Facebook.

Se você está no Facebook, certamente faz parte de algum grupo. Seja do trabalho, da sala da faculdade, de um time de futebol ou de determinada série de TV. Mas nenhum deles é como o Grupo da self. Criado em agosto de 2014, o espaço online reúne mais de 12.800 membros de todos os cantos do Brasil – do publicitário de São Paulo à senhorinha gaúcha, passando pelo jovem do interior da Bahia. Mas o que todas essas pessoas têm em comum?

Além do gosto pela selfie (por lá, só é permitido dizer “self”), elas compartilham um lugar para fazer amizades. Foi com esse objetivo que Ana Ribeiro, de 45 anos, chegou até lá. Ela foi uma das primeiras integrantes do grupo, e logo se tornou administradora. “Quando eu postei a primeira “self”, todos me desejaram boas-vindas, e acabei sendo eleita a ‘rainha da self’ em uma enquete que fizeram”, conta.

Para Ana, que é da cidade de Goiana, no litoral de Pernambuco, o crescimento do grupo só trouxe mudanças positivas. “Às vezes acontecem algumas briguinhas, mas em que família não tem?”, ela explica. O clima familiar é, de fato, nítido. Entre uma “self” e outra, surgem mensagens de apoio à autoestima dos companheiros de grupo, sempre de um jeito descontraído e com boas doses de humor.

Ana Ribeiro, de Pernambuco

A partir desses posts, surgiram até movimentos de empoderamento negro e feminino dentro do grupo. Um deles, o “bonde da autoestima”, foi encabeçado pela DJ carioca Leticia Teixeira, de 23 anos. “Acho que a selfie pode ser uma ferramenta pra gente levantar a autoestima. Não só nossa, mas das amigas também, comentando coisas boas e elogiando não só quem está dentro de um padrão de beleza específico. O “bonde” surgiu no grupo meio que sem querer, mas, quando vi, já tinha várias outras meninas postando e se incentivando por lá. Foi maravilhoso”, conta Leticia, que sempre exibe o black power colorido e cheio de estilo em suas postagens.

Outro participante assíduo é Daniel Ribeiro, de Guararema, São Paulo. O estudante, de 25 anos, foi adicionado há poucos meses, mas logo se identificou com as fotos e legendas engraçadas do grupo: “Minha timeline do Facebook deu um up total com selfies de estranhos, sempre muito criativas. Adoro como todos sempre colocam os participantes pra cima comentando nas fotos. É claro que tem um ou outro que não sabe da essência do grupo, e aí acaba criticando alguém que está fora dos padrões, mas, tirando essa galera, todo mundo gosta é dessa diferença.”

Ali não há espaço para intolerância, homofobia, machismo, racismo ou qualquer tipo de preconceito. O grande diferencial do grupo é justamente a abertura que dá para qualquer um se expressar do jeito que quiser para o mundo – ou, ao menos, para outras 12.800 pessoas.

Daniel Ribeiro, de São Paulo

Para Daniel, além da questão da autoaceitação, o grupo tem mais uma função: “Representa um alívio nas timelines, tão saturadas de opiniões e brigas políticas. É poder entrar no Facebook, conseguir dar risadas e falar com gente legal, muitas vezes que vivem em realidades muito diferentes da minha.”

E você, já fez uma “self” hoje? Compartilhe com a gente usando a hashtag #motofoto. 😉

POSTS RELACIONADOS

#hellocidades

Infográfico: nosso até breve para a Casa #hellocidades