Mulheres em campo: As conquistas do futebol feminino no Brasil


Escrito por Motorola

Para celebrar o Dia Nacional do Futebol, não tem jeito melhor que relembrar as importantes vitórias das mulheres no futebol, dentro e fora dos campos.

Marta, Formiga, Cristiane…  Dá pra acreditar que há pouquíssimo tempo existia uma lei que proibia as mulheres de fazer parte da paixão nacional que conhecemos como futebol? 

Em cerca de cinco décadas o Brasil deixou de ser um país com uma lei explícita sobre a proibição de mulheres no futebol, para um com a obrigatoriedade, estipulada pelo Conmebol e seguida pela Confederação Brasileira de Futebol, de haver times femininos para todos os clubes que desejem disputar campeonatos. 

Vem com a gente conhecer mais sobre a história do futebol feminino no Brasil

Primeiros passos colecionando medalhas

Os primeiros registros de partidas femininas de futebol surgiram lá pelos anos 1920, pelo menos em terras brasileiras, mas foi só em 1991 que o primeiro campeonato mundial foi realizado: a Copa do Mundo Fifa de Futebol Feminino. Na época, a nossa seleção foi eliminada ainda na primeira fase. 

Mas, tudo bem! Porque apenas duas copas depois, em 1999, conquistamos o terceiro lugar e em 2007 a seleção feminina levou o título de vice-campeã. A expectativa continua para a próxima disputa, que acontecerá em 2023, na Austrália.

Já nas Olimpíadas, a estreia das mulheres em campo aconteceu em 1996, em Atlanta. As medalhas chegaram um pouco mais tarde. Com um elenco de estrelas, incluindo Formiga, Cristiane e Marta, as duas pratas chegaram em 2004 e 2008.  

É do Brasil!

Não dá para negar que o fenômeno Marta marcou a história do futebol, não só no Brasil, mas em todo o mundo. Nossa artilheira estreou na Copa do Mundo em 2003, mesmo ano em que a seleção garantiu o ouro no Pan de Santo Domingo. Em 2006, ela recebeu o primeiro título de melhor do mundo.

Em 2007, só deu Marta! O ano começou com outro ouro na carreira, dessa vez no Pan-Americano do Rio, com direito a Maracanã lotado para assistir a vitória da seleção brasileira. Ela participou do vice-campeonato na Copa do Mundo e finalizou o ano com uma segunda taça de melhor do mundo. 

Ela nem precisou descansar muito, porque em 2008 o terceiro título veio aí. E de novo em 2009, 2010 e 2018. Marta Vieira da Silva, a maior recordista em número de gols marcados em Copas do Mundo, embaixadora da boa vontade da ONU para mulheres e meninas no esporte e eleita 6x a melhor do mundo. Rainha faz assim, né?

E tem mais conquistas por aí…

A primeira edição feminina da Libertadores aconteceu em 2009 e quem levou o campeonato foi o Santos. Agora, adivinha quem estava na escalação? Elas, Marta e Cristiane! Sem surpresas até aqui. 

Em 2015, mais um título no Pan, desta vez a seleção foi campeã no Pan-Americano do Canadá. No ano seguinte, uma conquista fora de campo, Emily assume como a primeira mulher treinadora da seleção brasileira principal.

2019 chegou como outro grande momento para as mulheres no futebol. A TV Globo exibiu pela primeira vez os jogos da seleção feminina em uma Copa do Mundo, o que gerou recordes de cobertura e audiência para o evento.

O que o próximo ano reserva para as nossas atletas, nós não sabemos. Mas, podemos torcer, acompanhar e incentivar cada vez mais mulheres no futebol , para que o sonho do ouro na Copa passe a ser uma realidade. 

Preparem a emoção, as vuvuzelas e a bandeira verde e amarela, porque 2023 é ano de Copa do Mundo de Futebol Feminino!

POSTS RELACIONADOS

motostyle
social

Sorrisos e afeto na Luta contra o Câncer de Mama

motostyle
música

Motorola em Salvador: Os ritmos de Carnaval com DJ Belle

motostyle
geek

As mulheres que revolucionaram a tecnologia