hellocidades
hellobh

Os ensaios dos blocos afros de BH para o carnaval 2019


Escrito por Motorola

Acompanhamos os preparativos de alguns blocos tradicionais da capital mineira

O Carnaval de Belo Horizonte vive uma grande transformação. Depois de décadas marcada pelo silêncio e pelas ruas vazias durante a semana de festa, recentemente a cidade se tornou um dos principais destinos dos foliões brasileiros e até de estrangeiros. Os blocos afros são um dos motores dessa multidão, e eles estão a todo vapor se preparando para o Carnaval de 2019.  

No final do ano, nós fomos ao último ensaio aberto do Angola Janga, bloco que arrastou 150 mil pessoas pelo centro da capital durante a folia de 2018.  Conhecido pela bateria afinada e pelos ótimos cantores, o bloco faz ensaios e oficinas abertas durante todo o ano.

Ana Roberto, Ana Hilário e Fabiano. Os cantores do Angola Janga.
Ana Roberto, Ana Hilário e Fabiano. Os cantores do Angola Janga.

De músicos profissionais a estreantes na percussão, todos podem participar. “Depois da retomada do Carnaval de BH, em 2009, sentimos falta da participação negra e de toda sua ancestralidade nas ruas. A bateria ser aberta e coletiva contribui para o senso de pertencimento”, diz a co-fundadora Nayara Garófalo, que ainda destaca a abertura do corpo de baile, em que dançarinos profissionais ou de primeira viagem podem desfilar.  

Com repertório dos grupos Ilê ayê, Olodum, Filhos de Gandhy, entre outros, o Angola Janga irá apresentar seu quarto cortejo no domingo de Carnaval, concentrando-se no Viaduto de Santa Tereza. Até lá, quem já estiver no clima, poderá curtir os ensaios semanais que acontecem na Avenida dos Andradas, esquina com a rua dos Carijós.

A valorização da memória

O primeiro bloco afro do Carnaval de BH foi o Afoxé Ilê Odara, fundado no começo dos anos 1980 pela ialorixá Mãe Gigi e o bailarino Márcio Valeriano, tendo Gilberto Gil como padrinho. Após anos de marginalização, BH viu florescer diversos outros blocos de massa que buscam suas referências nas religiões de matriz africana.

Festa de 5 anos do Afoxé Bandarerê
Festa de 5 anos do Afoxé Bandarerê

Visitamos a festa de 5 anos do Afoxé Bandarerê, que nesse Carnaval homenageará o Orixá Ogum, um dos maiores patronos do Afoxé. O corpo de baile deles apresentou seus novos figurinos e muitas coreografias, além disso, foi lançado o novo hino do grupo. Misturando cânticos de domínio público e músicas autorais, o cortejo do Bandarerê acontece nas ladeiras do Concórdia, bairro de forte tradição afro-brasileira, com diversos terreiros, grupos de capoeira e sambas de roda. Eles também abrem o desfile das escolas de samba de BH, na Avenida Afonso Pena.

Outros blocos estavam presentes na festa de aniversário, como o Magia Negra, fundado pelo músico Camilo Gan, em 2013. Segundo Camilo, a intenção do bloco é combater o “feitiço” racista, exaltando os valores estéticos e intelectuais da cultura negra. O Magia Negra se destaca pelo repertório autoral e por ser um bloco itinerante, apresentando-se em locais diferentes em cada dia do Carnaval, como em Santa Tereza, Floresta, Centro e no próprio Concórdia.

Corpo de Baile do Afoxé Bandarerê
Corpo de Baile do Afoxé Bandarerê

Veja mais matérias sobre festas e eventos culturais em Belo Horizonte na aba HelloBH, dentro do projeto #Hellocidades.

POSTS RELACIONADOS

motostyle
geek

Veja como foi a nossa cobertura do Greenk