hellocidades
hellosãopaulo

SP Haunted Tour: um passeio mal assombrado


Escrito por Motorola

Você toparia embarcar em um tour noturno nada convencional por São Paulo, guiado por um “fantasma” contando as lendas urbanas mais macabras que rodeiam o centro antigo da cidade? Fomos no SP Haunted Tour viver essa experiência e registramos tudo com o motorolaone vision para mostrar para vocês um pouco do que foi o passeio. 

 

Embarque

A nossa guia turística, uma simpática senhora que atende pelo nome de Ethernya, conduziu o tour com mais 41 pessoas a bordo do Haunted Bus. Embarcamos às 19h, em frente ao Cemitério da Consolação. Nossa guia começa contando curiosidades e histórias do local de forma, digamos, tenebrosa.

 

Ethernya, interpretada pelo ator e guia turístico David Carolla. Fotos tiradas com o modo Night Vision
Ethernya, interpretada pelo ator e guia turístico David Carolla. Fotos tiradas com o modo Night Vision

 

“Pessoas importantíssimas estão enterradas aqui: Oswald de Andrade, Pagu, Ruth Cardoso [ex-primeira dama, esposa de FHC]. A família Matarazzo tem um mausoléu de 150m2, um luxo maior que muita kitnet por aí!”, diz Ethernya em tom de ironia. 

 

Caminhada

Logo em seguida, passamos pelo Theatro Municipal, onde descemos do ônibus para uma caminhada em frente às escadarias do espaço e pelo Viaduto do Chá.

 

Caminhada pelo Theatro Municipal. Foto tirada com o modo Night Vision
Caminhada pelo Theatro Municipal. Foto tirada com o modo Night Vision

 

Lendas Urbanas

Nosso passeio continuou, dentro do Haunted Bus, passando pelo Largo São Francisco, Praça da Sé, Bairro da Liberdade, Palácio da Justiça, Pateo do Collegio, Edifício Martinelli, Edifício Andraus e Castelo da Apa. Em todos esses pontos, a magnífica Ethernya nos impressionava com uma história mais assombrosa que a outra. 

 

Carlos Eduardo Florence, que mora na zona norte, levou a família toda para o Haunted Tour, com a ideia de fazer algo diferente à noite em São Paulo. A esposa, Juliana Lobato, disse que as histórias mais assustadoras para ela foram as do Ed. Andraus e do Ed. Joelma. “Por serem dois incêndios famosos, é meio assustador a gente passar em frente e saber que muita gente morreu ali”, diz. A filha mais velha, Bianca Maria, achou a história do Castelinho da Apa, “o crime não resolvido”, a mais impactante na sua opinião. 

 

Carlos Eduardo com a família e Ethernya. Foto tirada com o modo Night Vision
Carlos Eduardo com a família e Ethernya. Foto tirada com o modo Night Vision

 

“O tour e a Lady Ethernya nos dão uma aula de história que consegue contextualizar com o momento atual, usando humor inteligente e irônico”, relata Adriana Azenha, atriz e diretora, que também vivenciou essa experiência irreverente.

Os próximos passeios já têm datas, serão nos dias 24 e 31 de agosto. Fique ligado nas redes sociais e no site do Haunted Tour para reservar o lugar. Clique aqui e saiba mais.

 

POSTS RELACIONADOS

hellocidades
hellorio

A Pequena África: tradição e cultura no Rio de Janeiro