motostyle
geek

GIF também é arte


Escrito por Motorola

Conheça artistas que fazem arte com GIFs.

Mario Brito para Comunidade Moto

A história do GIF precede a própria Internet. Ele foi criado em 1987 para suprir a necessidade de exibir imagens coloridas (de até 256 cores) em um tamanho leve para os lentíssimos computadores da época. A possibilidade de gerar movimento com pequenas sequências era só um bônus, que acabou se tornando o principal atrativo da sua utilização. Com a popularização do navegador Netscape, que o suportava nativamente, sua presença tornou-se lei na rede durante os anos 90.

Reprodução – Tumblr

Com o desenvolvimento de outras tecnologias de imagem e animação, como Flash e PNG, o gif foi eclipsado durante os anos 2000.

Mas foi no comecinho da década seguinte que o graphics interchangeable format (nome completo da extensão de arquivos) ganhou um segundo momento de glória; e foi graças à explosão do Tumblr: sua comunidade entendeu o senso de humor intrínseco e seu potencial para criar vídeos e breves animações em loop infinito. Isso impulsionou o suporte do gif em outras redes sociais, como Twitter e Facebook (rede social que ofereceu compatibilidade com a extensão somente em 2015).

Hoje, com uma ferramenta de busca própria, esses arquivos são ubíquos na Internet. Com as mesmas poucas cores desde sua invenção, a qualidade de sua imagem não é das melhores, mas ele conseguiu encontrar um novo e importante papel aos 29 anos de idade, coexistindo (e às vezes em maior número) com todas as tecnologias que se julgaram superiores.

A febre recente chamou a atenção de artistas visuais, que viram no gif uma forma de ampliar as possibilidades. Animações infinitas, leves e facilmente compartilháveis são uma receita para o sucesso, e provam que o gif não pode ser visto somente como uma  reação engraçadinha, mas também como uma forma de arte.

Uma prova disso são os nomes que selecionamos para você conhecer agora.

HENRIQUE LIMA

O paulista Henrique Lima fez sucesso na gringa com sua série de ilustrações animadas “MSTRFNG”, de 2012, quando começaram as experimentações com a ferramenta. Ele integra o “Mulheres Barbadas”, coletivo de ilustração que também conta com peças em .gif.

MSTRFNG, de 2012.

Mulheres Barbadas

MARIO BRITO

O ilustrador pernambucano encontrou no formato uma maneira de explorar o movimento de modo prático:

“Comecei [a trabalhar com esses arquivos] há cerca de um ano. Com a correria do dia a dia, fiquei sem tempo de me dedicar a estudar animação propriamente dita. A solução de execução acabou sendo o gif. Dou preferência a orientações quadradas porque a mesma peça pode ser usada em diferentes plataformas, assim eu poupo tempo de produção.

Outra coisa que me incentivou a usar o gif foi a própria estrutura da peça, passo a passo, dando a sensação de stop-motion”, ele conta para a Comunidade Moto.

O resultado é um trabalho delicado e fluido.

RAFAEL VARONA

O artista holandês criou uma série impressionante de ilustrações em gif chamada Impossible Bottles, na qual cria pequenos universos encapsulados. O projeto fez tanto sucesso na Web que Rafael foi contratado para inúmeros outros trabalhos no mesmo estilo.

Impossible Bottles, 2014

 

 

POSTS RELACIONADOS

hellocidades
hellorecife

Colaboração e tecnologia: projetos que fazem a diferença no Recife