motostyle
arte

Mobgrafia: fotografando melhor com o smartphone


Escrito por Motorola

Confira as principais dicas dadas pelo pessoal do mObgraphia na oficina de fotografia mobile no MIS utilizando o novo Moto G Plus.

Já falamos aqui sobre o Flamob (Festival Latino de Mobgrafias), que acontece no Museu da Imagem e do Som em São Paulo, sob o comando da mObgraphia. Essa é a primeira edição do festival, mas a terceira do Prêmio em terras nacionais. A ideia do projeto é celebrar a mobgrafia, ou fotografia mobile, hábito cada vez mais comum entre pessoas do mundo todo, e que tem ganhado espaço crescente dentro da fotografia tradicional.

Para os criadores da mObgraphia, esse movimento não é só sobre fotografar, mas sobre contar histórias com as fotos. Foi com isso em mente que eles selecionaram as imagens vencedoras de cada categoria do Prêmio, que ficam expostas no MIS até o dia 24 de julho de 2016.

No último domingo (10), os fotógrafos Ricardo Rojas, Cadu Lemos, Rodrigo Vieira e Alexandre Wittboldt, todos da mObgraphia, ministraram uma oficina de fotografia mobile no museu usando nosso novo Moto G Plus. Por lá, eles deram boas dicas de como fazer bons cliques e ainda editar as fotos com o smartphone. Pensando em quem não pôde ir, anotamos as cinco regrinhas básicas ensinadas pelos profissionais:

– Encontre uma nova forma de olhar.

– Busque o extraordinário dentro do comum.

– Lembre-se da regra dos terços (e de quebrá-la de vez em quando).

– Silencie seu crítico interior.

– Experimente com a luz.

No meio da oficina, Ricardo Rojas pediu para que os participantes descessem e fotografassem algo que lhes chamasse a atenção ao redor do MIS. Assim, as pessoas passaram pelas exposições, pelas escadarias e até pelo museu vizinho, o MuBE, em busca de um registro interessante.

Graças à agilidade do mobile, sair fotografando por aí fica muito mais simples, com inúmeras possibilidades de criação. Mas, para os palestrantes, a edição é tão importante quanto a fotografia em si. E para isso eles indicam o app Snapseed, que tem todo tipo de ferramenta e filtro para corrigir imperfeições da foto ou simplesmente trazer um novo estilo à imagem original.

Por fim, fica a principal dica: pratique todos os dias. “Imponha missões e prazos para você mesmo. Por exemplo: fotografar 20 imagens da mesma cena, mas de ângulos diferentes”, eles propõem.

Durante a oficina nós encontramos alguns Motofãs clicando com seus smartphones. Entre eles, o fotógrafo Vitor Lins, de 26 anos, que tira fotos incríveis com seu Moto X (2ª Geração). Para ele, a melhor parte do evento foi ter acesso às pessoas que usam a mobgrafia como profissão. “É muito bom poder expandir a percepção em uma oficina como essa, que nos faz sair no meio do evento para fotografar”, conta.

Foto: Vitor Lins

Cristina Lima, de 45 anos, usa seu Moto G (3ª Geração) para registrar o cotidiano. A gaúcha, que é professora de fotografia, adorou as discussões sobre o fenômeno da fotografia mobile e também as “conversas paralelas” que pôde ter com os profissionais e os palestrantes.

Para saber um pouco mais do que aconteceu durante a oficina, assista à reportagem do Bom Dia São Paulo, da TV Globo.

Foto: Cristina Lima

Você também se aventura na fotografia com o smartphone? Compartilhe seus cliques com a gente pelo e-mail [email protected] ou pela hashtag #motofoto.

Serviço

Flamob
Museu da Imagem e do Som
(11) 2117-4777
Avenida Europa, 158 – Jardim Europa
São Paulo – SP
Em cartaz até 24/07
Entrada gratuita.

POSTS RELACIONADOS

hellocidades

Construindo histórias através da fotografia

motostyle
geek

A experiência de Gustavo com o Moto G Plus