hellocidades
hellorecife

Samuray e o siri-mole na Brasília Teimosa


Escrito por Motorola

Fomos à tradicional comunidade do Recife para conhecer uma de suas figuras mais ilustres

A zona sul do Recife guarda ótimas histórias e personagens. A Brasília Teimosa que o diga! Ocupação urbana mais antiga da cidade, o bairro de pescadores se manteve unido graças à resistência de seus moradores.

Uma vez estabelecida, a região permitiu aos que ali viviam a formação de um comércio próprio. Nessas condições, há 18 anos, Samuray abriu seu bar. Hoje, o local é famoso por seus frutos do mar e pela frequência com que cineastas e artistas locais aparecem por lá.

Para se aprofundar nessa história, o Hello Cidades, acompanhado do músico José Demóstenes, foi até ao local conversar com seu ilustre proprietário e, claro, provar seu famoso siri-mole.

A teimosia de se manter de pé

Enquanto a capital Brasília era construída no planalto central, sua xará recifense teimava em se manter de pé. De dia funcionários a mando do governo derrubavam as casas da comunidade. De noite seus moradores as reconstruíam.

Talvez esse fato sirva para explicar a lealdade de Samuray com sua área. Nos primeiros 14 anos do bar, ele serviu a comunidade com refeições de baixo custo. Hoje, os funcionários são todos moradores locais, assim como os ingredientes que compõem os pratos do cardápio.

O siri-mole e os frutos do mar são a especialidade do Bar do Samuray
O siri-mole e os frutos do mar são a especialidade do Bar do Samuray

Faz apenas 4 anos que ele começou a se dedicar aos frutos do mar e fazer nome fora da sua comunidade. Com a mesma facilidade que enumera suas especialidades culinárias, Samuray não tem dúvidas do seu grande hit: “Ah o siri-mole, foi ele que se destacou no mundo inteiro“.

Tornando a Brasília famosa

“Começou com os políticos, os médicos… Depois os cineastas invadiram e aí com eles foi carga total. Começaram a trazer atriz, ator… Aí vem gente de todo lugar do mundo, por que eles têm comunicação com o mundo, né?”

Dessa forma simples e sagaz, Samuray nos explica como conquistou o meio artístico da cidade e ganhou projeção para além do Recife. Mas também há outra peculiaridade que torna o dono do bar conhecido: sua atuação no Instagram.

O famoso siri-mole frito no pirão à moda do Samuray
O famoso siri-mole frito no pirão à moda do Samuray

Dono de bar e digital influencer

“O cliente chega aqui e eu dou meu Instagram pra ele. Se ele quiser foto, tira. Se não quiser, não tira. E eu peço pra eles botar o que acharam daqui. É algo que eu achei que tinha que ser a opinião do cliente, não a minha. Porque a minha não ia ser tão válida. Como é a do cliente, é super válida! “, brinca nosso anfitrião.

A conta na rede social já tem mais de 8 mil seguidores, com milhares de fotos e legendas elogiando os frutos do mar e a hospitalidade do Samuray.

O repórter Dante, Samuray ao centro, o músico José Demostenes e o famoso siri-mole
O repórter Dante, Samuray ao centro, o músico José Demostenes e o famoso siri-mole

O burburinho digital chegou até o músico recifense, José Demóstenes, que nos acompanhou na visita.

“Eu já tinha descoberto ele mais pela fama dele, pelo lance do Instagram. Com o Instagram ele acabou conhecido de amigos de amigos, aí esse nome chegou: o Samuray da Brasília Teimosa, que faz o siri-mole”.

O músico José Demóstenes se entregando ao siri-mole
O músico José Demóstenes se entregando ao siri-mole

Sobre voltar ao local, José conta que foi ótimo saber mais sobre a história do bar, do seu dono e registrar o momento. Parece que a técnica do Samuray de conquistar novos seguidores realmente dá muito certo.

O segredo do Samuray

Provavelmente, em uma conversa normal com seu dono, será mais fácil descobrir como o prato mais famoso do Bar do Samuray é feito do que o nome do proprietário.

Sem dar muita bola para essa onda de mistério, Samuray prefere revelar a origem do apelido que estampa a fachada do local:

“Quando eu abri o bar, 18 anos atrás, eu fiz umas coxinhas grandes, que dava umas 5, 6 coxinhas normais. A garotada chegava e dizia, ‘Isso não é coxinha, é bomba! quem fabrica bomba é samurai. Você é um samurai!’. A ideia surgiu das crianças, de me chamar de Samuray. Aí, acabou as coxinhas e ficou o Samuray.”

Continue acompanhando o Hello Cidades para saber mais sobre lugares e personagens do Recife.

POSTS RELACIONADOS