Roubo de Celular: conheça medidas para se proteger


Escrito por Motorola

O roubo e o furto de smartphones sempre estiveram presentes no medo cotidiano dos consumidores brasileiros. Com o avanço da tecnologia, nossos celulares transformaram-se no melhor aliado em diversas ocasiões pessoais e profissionais.

Consequentemente, recursos como a transferência instantânea de valores através do PIX, pagamentos via QR Code, transferência por aplicativos de mensagem como Whatsapp, carteiras digitais, entre outros meios, tornaram-se os alvos preferidos de assaltantes e golpistas.

No entanto, você sabia que existem recursos para proteger você e seus dados pessoais antes e após um possível roubo ou furto de celular? Prevenção nunca é demais. Separamos dicas importantes para você acrescentar na sua rotina e torná-la mais segura.

Agilidade e proteção

Segundo a pesquisa realizada pela consultoria Time/Opinion Box, 34% dos brasileiros já foram alvos de roubos ou furtos de celulares. Em muitos casos, a grande motivação para esses assaltos é a utilização dos dados pessoais para transferências de PIX, empréstimos em aplicativos bancários que, em grande parte, possuem dados pessoais registrados, e golpes com foco em familiares e amigos.

Grande parte dos especialistas recomendam não salvar dados importantes como CPF, RG e registros que possam facilitar essas ações após um possível roubo. Em relação às senhas, tanto do celular quanto dos aplicativos, o recomendável é nunca utilizar datas comemorativas

Para isso, recomenda-se a utilização da mesclagem de números, caracteres especiais, letras maiúsculas e minúsculas, entre outras combinações que possam gerar mais confidencialidade para os seus dados.     

Fora isso, a habilitação da sua digital e reconhecimento facial como destrave do seu aparelho podem ajudar diante uma situação de furto. Por exemplo, caso o seu smartphone possua uma das ações citadas, a probabilidade de quebra do sistema é menor e mais demorada. Com isso, você ganha um tempo ágil no bloqueio do seu aparelho por aplicativo, IMEI (falaremos dele mais pra frente) ou pela operadora telefônica. 

Aplicativos bancários

Algo que pode precaver as transações feitas após um roubo ou furto é saber como administrar seus aplicativos bancários. Por exemplo, definir um limite para a sua transação bancária, seja PIX ou TED/DOC (alguém ainda usa?) pode ajudar. 

Dessa maneira, você cria um “empecilho” diante uma transação estranha e o banco pode bloquear o valor, impedindo-o de sair da sua conta. Você também pode solicitar direto no aplicativo, ou nas configurações do seu celular, que destrave apenas ocorra com a sua digital ou com reconhecimento facial.

Tenha cuidado com seus documentos pessoais

Outro golpe que é muito comum, é a solicitação de empréstimos via aplicativos ou por documentos pessoais. Caso o seu celular não esteja protegido, efetuar esses pedidos pelo aplicativo será fácil. Com apenas dois cliques você terá uma dívida e uma possível dor de cabeça futura. Agora, caso você tenha fotos dos seus documentos pessoais salvos em seu aparelho, o problema poderá ser maior. 

Além do empréstimo, existem outros golpes como a utilização do seu nome para receber dinheiro proveniente de outras movimentações criminosas, a entrada em casas, carros, motos e outras formas de ações que podem acarretar contratempos difíceis de resolver. 

Nem adianta prometer três pulinhos para São Longuinho, viu? Ou seja, nada de fotos do seu RG, CPF, CNH, entre outros dados e documentos pessoais na sua galeria ou salvo em aplicativos. 

Tenha sempre anotado o número do IMEI (International Mobile Equipment Identity), em tradução livre “Identificação Internacional de Equipamento Móvel” do seu celular. Em uma situação de furto ou roubo, essa informação será precisa e importante para realizar uma operação focada em encontrar seu aparelho. Informação importante que nos leva ao próximo tópico. 

Encontre Meu Celular

Ou “Encontre Meu Dispositivo”. Caso você tenha sido roubado ou furtado e não tenha dado tempo de você seguir as dicas acima, não entre em pânico. A Google disponibiliza um serviço chamado “Encontre Meu Dispositivo” para os androids. É um sistema fácil e que pode auxiliar você na busca do seu aparelho. Então, senta que lá vem tutorial: 

  1. Verifique se o seu aparelho está apto para a função. Vá em Configurações > Segurança > Encontre Meu Dispositivo. 
  1. Caso a função esteja desativada, ative-a. 
  1. Existem duas opções que, após o cadastro do seu dispositivo, você poderá usar para encontrar o seu aparelho. São elas: o aplicativo (disponível na Play Store) Encontre Meu dispositivo e o link android.com/find que disponibilizará um “toque no dispositivo”, entre outras funções como resetar ou bloquear o dispositivo. 

O recomendável é que você, antes de efetuar a compra do seu smartphone, verifique as opções disponíveis de segurança digital do mesmo. Desse modo, você consegue se planejar de possíveis situações como roubo ou furto.

Ainda está confuso ou nenhuma dessas opções é a melhor pra você? Bom, temos um conteúdo interessante e que traz mais dicas de segurança para o seu Motorola clicando aqui. Espero que esse conteúdo tenha ajudado você e (batendo na madeira três vezes) que não precise utilizá-lo tão cedo. Se gostou compartilhe com os amigos. Até mais, MotoLovers!

POSTS RELACIONADOS

motostyle
arte

Os melhores lugares para fotografar em São Paulo