motostyle
motolovers

Pets e Isolamento


Escrito por Motorola

Você está passando a quarentena com seu pet ou querendo adotar um animal? Conversamos com Gabriel Pego, do @yellowciclista, sobre cuidados e dicas que podem te ajudar com seu melhor amigo neste momento. 

O Gabriel encontrou a Yellow em uma caixa, em uma pista de mountain bike, às margens da represa do Guarapiranga. “E lá estava uma cachorrinha amarela, que de primeiro momento eu já apelidei de ‘Yellow’. Ela passou o dia conosco, e ao anoitecer ninguém quis levá-la para casa por motivos pessoais. Como meu pai nunca foi muito fã de cães, eu não pude adotá-la por esse motivo. Mas na metade do caminho a emoção passou por cima da razão, e eu voltei correndo para buscar a Yellow”.

Como estava de bike, teve que improvisar o transporte da cachorrinha. Gabriel conta “Coloquei-a nas minhas costas por dentro da camisa, e ali eu vi a felicidade em forma de cachorro. Ela veio com a boquinha aberta sentindo a brisa que a bike proporciona. Foi ali que meu coração se encheu de alegria e logo pensei, ‘essa vai ser ciclista também’.”

 

Ver essa foto no Instagram

 

O sol caminha devagar, mas atravessa o mundo! 🙏🏼🌄👨‍👧 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ #pordosol #puppy #💛

Uma publicação compartilhada por Yellow, a ciclista! (@yellowciclista) em

“Anos depois ela me inspirou na criação de uma mochila para o transporte de pets. Agora somos companheiros de AUventuras e ajudamos outras pessoas a se conectar com seus animais”, completou.  

Adoção

Pra quem está pensando em adotar um pet, Gabriel comenta que “adotar é tudo de bom, eles mudam a sua vida completamente”. Ele adora chegar em casa e receber o amor da Yellow. E recomenda as ONGs: Amigos de São Francisco, Aufamily Abrigo e Paraíso dos focinhos

É importante pensar bem antes de tomar a decisão de adotar um animal. A adoção deve sempre ser responsável. Devido à quarentena, talvez você tenha tempo de sobra para cuidar de um pet, mas pense se você terá tempo, paciência e dedicação necessárias quando o isolamento acabar. 

Isolamento

Sobre o isolamento, Gabriel comenta que está sendo difícil, mas necessária. “Creio que sem ela, seria bem mais chato e monótono”. Com a rotina completamente diferente, Gabriel diz que a Yellow precisa gastar a energia que geralmente era suprida com os passeios por trilhas, mas “mesmo dentro de casa inventamos algumas brincadeiras para matar o tempo”. É importante ser criativo e procurar novas atividades para seus pets dentro de casa.

Se precisar sair para passear, se possível, prefira utilizar as áreas do seu prédio/condomínio. Lembrando se sempre utilizar máscara e higienizar as patinhas dos cães e as suas mãos ao chegar em casa. 

Para finalizar, Gabriel indica comprar ração e outros itens online para evitar sair de casa. 

Aplicativos

Para quem precisa de uma ajuda extra para cuidar dos pets, existem apps como:

  1. Pet Booking, para encontrar pet shops, clínicas veterinárias e profissionais pets para reservar banho e tosa, consultas, adestramento e muito mais; 
  2. Dog Hero facilita o encontro de donos de animais e pessoas que estão dispostas a hospedar eles por um tempo; 
  3. Relax My Dog e Relax My Cat os apps oferecem músicas relaxantes e TV para cães e gatos, que ajudam a lidar com estresse e ansiedade, que pode ser comum nos pets neste momento. 
  4. 11Pets: Cuidado Animal traz recursos, lembretes para todos os cuidados essenciais, organização de dados médicos e acompanhamento de incidentes.  

Pós isolamento

Outra dica importante é o cuidado pós isolamento: lembre-se de dar mais atenção aos seus pets quando você começar a sair de casa novamente. Neste momento, eles estão se acostumando a terem companhia 24 horas por dia, então pode ser que estranhem a readaptação. Os animais também sofrem com a quarentena e precisam de cuidados redobrados, muito amor e carinho. 

Linda demais a Yellow, né? Obrigada pelas dicas, Gabriel! Hello, mães e pais de pets, aproveitem para cuidar ainda melhor dos seus melhores amigos. <3 

Veja também: Conheça seu próximo melhor amigo

POSTS RELACIONADOS

motostyle
música

Gerando Falcões: a periferia também pode voar alto